Como vimos no post sobre Arte Computacional, atualmente existem inúmeras categorias abrangidas pelo uso da computação na criação artística. Ambientes como o Processing, desenvolvidos específicamente para o treinamento de designers e artistas, contribuem para a difusão da estética computacional, design, interfaces de visualização, jogos e ambientes interativos. Selecionamos aqui algumas aplicações  desenvolvidas com o Processing.

 

Arte e Design Generativo

O design “generativo”  (generative design) é um método onde o resultado (imagem, som ou modelo) é gerado por um conjunto de regras (algoritmo) formalizado num programa computacional.

 

Diagrama do processo utilizado pelo design generativo

Diagrama do processo utilizado pelo design generativo - - Generative Gestaltung - www.generative-gestaltung.de

 

 

COP15 (okdeluxe)

 

Formação de logo para COP15

Formação de logo para COP15

 

A agência de design okdeluxe desenvolveu um software para a geração do logo da conferência sobre mudanças climáticas globais realizada em Copenhagen em 2009.

O conceito estrutural foi a adoção de algoritmos generativos de simulação de campos de força e comportamento de rebanhos para a execução de traçados dinâmicos.

 

Interface do software generativo

Interface do software generativo

 

Na imagem acima percebemos a interface para ajustes dos parâmetros responsáveis pelos ajustes da animação. O Processing não possui uma ferramenta nativa para a criação de interfaces gráficas como botões e sliders, porém existem extensões como a ControlP5 utilizada neste aplicativo customizado pela okdeluxe.

 

COP15 Generative Identity Software – Evolutions Light from okdeluxe on Vimeo.

 

O algoritmo de comportamento de rebanhos (flocking) foi implementado inicialmente no programa Boids, software  de vida artificial criado por Craig Reynolds em 1986 para simular o comportamento de bando de pássaros. Uma versão para Processing foi implementada por Daniel Shiffman – veja aqui o código.

 

 

Written Images (Martin Fuchs & Bichsel)

Organizado por Martin Fuchs e Bichsel, Written Images (imagens escritas) é um livro “programado” para gerar impressões únicas. O projeto contou com a colaboração de 42 artistas que enviaram softwares para a geração de uma sequência de quatro páginas.

Cada livro impresso é criado pela execução de processos generativos e controle de parâmetros que podem ser manipulados por usuários da rede internet.

Written Images from d_effekt on Vimeo.

 

Written Images (Preview and testprint of every submission.) from d_effekt on Vimeo.

 

 

MIT MediaLab Identity (Green Eyl, Sengewal & Schumacher)

Um caso interessante de identidade visual generativa foi criado pelo MIT MediaLab. Neste projeto, cada colaborador poder criar seu próprio logo pela manipulação de uma interface web. O conceito de colaboração e união de pontos de vista diversos também incorpora a idéia de uma constante regeneração dos significados atuais sobre mídia e tecnologia.

 

 

Medical Magic -Actelion Imagery (Julia Laub & Cedric Liefer – Onformative Studio)

Medical Magic é uma ferramenta programada pelo estúdio Onformative para a geração de imagens e animações  destinadas à reformulação da identidade da empresa biofarmaceutica Actelion. O sistema converte imagens fotográficas em vetores, linhas e padrões gráficos  cujas significações fazem referência ao universo da inovação tecnológica e ao espaço molecular digitalizado.

Actelion Report

Imagem aplicada em brochura da Actelion.

 

Actelion Imagery Wizard from onformative on Vimeo.

 

Complexification (Jared Tarbell)

O artista Jared Tarbell utiliza o Processing para a criação de imagens com alto nível de complexidade visual. Pela interação não linear de elementos gráficos dinâmicos, os softwares desenvolvidos por Tarbell  exploram algoritmos capazes de gerar múltiplas densidades de texturas e padrões.

 

Intersection - Aggregate - Jared Tarbell

Nesta obra Jarbell explora um algoritmo que movimenta 100 círculos de tamanhos e direções diferentes.

 

O desenho destas obras pode ser apreciado em tempo real no site Complexification ou o resultado(s) pode ser comprado no formato impresso.

 

Sand Travelers - Jared Tarbell

Nesta obra foram utilizadas 1000 partículas animadas por um algoritmo de perseguição

 

Mais informações sobre design e arte generativa:

Generator.x (importante conferência e diretório – acesso a textos, ferramentas, códigos e  links para o trabalho de artistas e pioneiros)

Decoded – Conference for code and Design

Procedural Drawings (sobre desenhos generativos – Datais Nature)

A survey of procedural methods in entertainment computing

Code as creative writing (entrevista de Rhizome com John F. Simon)

Code: The Language of our times (Vários textos sobre a expo ARS Electronica -2003)

Onformative (estúdio especializado em design generativo)

 

Visão Computacional

Segundo o artista Golan Levin,  o campo da “visão computacinal” abarca uma série de algoritmos que permitem os computadores realizarem  análises e afirmações inteligentes sobre imagens digitais e vídeo. Restritos inicialmente aos pesquisadores de processamento de sinais e inteligência artificial, estes processos hoje são utilizados pelos artistas graças a evolução dos computadores pessoais e pela  expansão das comunidades que compartilham software livre.

A obra Videoplaces (Myron Krueger- 1975) foi o primeiro trabalho de arte  que utilizou a visão computacional para fins interativos. Neste projeto, Krueger utilizou uma câmera para capturar o recorte dos corpos dos interatores localizados contra a luz de um fundo retro iluminado. Desta forma, os algoritmos que processavam a imagem capturada puderam extrair silhuetas cujos movimentos interagiam com figuras virtuais.

 

 

Atualmente, existem bibliotecas de software  que agrupam   centenas de algoritmos implementados para o reconhecimento de presença, movimentos, gestos, face, rastreamento de objetos e tags gráficas. Este é o caso do  OpenCV  (Open Source Computer Vision Library), um framework desenvolvido pela Intel (2000) na liguagem C/C++ e cujas funcionalidades  foram portadas para ambientes como o Processing.

A  seguir  alguns exemplos de experimentos interativos criados com o Processing.

 

Motion Trails (James Alliban)

Motion trails v01 from James Alliban on Vimeo.

 

 

Body Navigation (Ole Kristensen)

Body Navigation (Full Documentation) from ole kristensen on Vimeo.

 

 

Roots (FlipMu)

Roots Multi Touch Tangible Installation Teaser from FlipMu on Vimeo.

 

 

Shadow Monsters  (Phillip Worthington)

“Design and The Elastic Mind” Exhibition at the MoMA (2 of 2) from Victor Aguilar on Vimeo.

 

Visualização de dados

O conceito da visualização interativa de dados considera a possibilidade da análise e representação gráfica de massas complexas de informações extraídas de fontes informacionais diversas. Através de modelos tridimensionais, grafos, agrupamentos ou linhas temporais dinâmicas , podemos visualizar conexões, relações,  significados e padrões que dificilmente seriam identificados com recursos estáticos.

O Processing tem sido utilizado em projetos experimentais de visualização, seja para a análise de fluxos de imagens, sons, textos ou das informações que transitam pelas redes.

 

Nike+ Visualizations  (MFA)

Neste projeto os alunos da MFA utilizaram informações geradas pelo dispositivo Nike+. Os dados foram coletados com o auxílio da plataforma online disponibilizada para os atletas praticantes de corrida na cidade de Nova York.

Nesta exemplo David Bellona criou gráficos que representam a relação tempo e distancia percorrida por centenas de atletas.

 

Nike+ Exploration - David Bellona

Nike+ Exploration - David Bellona

 

Cascade

Cascade é uma ferramenta criada para o New York Times para a investigação sobre as informações publicadas por leitores em mídias sociais.  A aplicação pode gerar interfaces tridimensionais de navegação, facilitando a visualização de relações de complexidade que emergem do contato  interativo entre leitores, comentadores e editores.

Cascade - NYT

Cascade - NYT

 

Para mais exemplos e discussões sobre a estética da visualização:

 

DataIsNature (blog sobre diversas áreas da estética computacional)

Infomation Aesthetics (blog explora a “relação simbiótica entre o design criativo e o campo da visualização”)

Visual Complexity (blog sobre  formas de visualização em áreas diversas do conhecimento)

Many Eyes (ferramenta elaborada pela IBM para a visualização de dados online)

Data Visualization as New Abstraction  and Anti-Sublime (texto do teõrico Lev Manovich)

Delicious/navax/visualization (centenas de links para experimentos e textos sobre  o tema)

 

 

 

Tagged with:
 

Fatal error: Class 'OAuthSignatureMethod_HMAC_SHA1' not found in /home/navax/www/blog/wp-content/plugins/twitter-tools/twitteroauth.php on line 62